CUIDADOS NUTRICIONAIS NA GESTAÇÃO PÓS-CIRURGIA BARIÁTRICA

No Brasil há 30 milhões de obesos e no mundo 600 milhões, destes 14% mulheres são mulheres obesas, 4% são obesas mórbidas e 2,3% estão em período de fertilidade (SBCBM, 2007; 2011).

A Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica (ABESO) alerta para os riscos de uma gravidez nos primeiros 18 meses após uma cirurgia bariátrica. É recomendado que mulheres com obesidade mórbida evitassem uma gestação em virtude do alto risco que a condição impõe. Uma obesidade mórbida já per si já é uma condição de risco eminente, imagina cursando com uma gestação.

A perda de mais de 50% do excesso de peso, favorece que a mulher volte a ovular e retomar o sonho de ser mãe, mas é interessante que as mesmas se atentem para um período de recuperação pós-cirurgia, necessariamente precisam repor micro e macronutrientes para enfrentar um novo estresse metabólico que é gerar um filho, portanto essas pacientes ainda devem ser tratadas como de alto risco.

A gestação na obesa mórbida acarreta grandes problemas, não somente a ela, mas também ao feto. Sabe-se que a gestação e a obesidade predispõem a associação de afecções como hipertensão arterial, diabetes gestacional, parto prematuro, doença hipertensiva específica da gravidez (DHEG), eclampsia e demais, o que caracteriza gestação de alto risco (Matielli et AL; 2003).

Uma revisão das mais recentes evidências sobre o tema, publicado na revista científica Obstetrician and Gynaecologist, mostra que será cada vez mais comum os médicos terem de orientar suas pacientes sobre gravidez e seus riscos no pós-cirúrgico. O co-autor do estudo, Rahat Khan, do Princess Alexandra Hospital NHS Trust, em Harlow, Essex, alerta que essa condição afetará cada vez mais mulheres em idade fértil. O pesquisador alerta que apesar da gravidez após a cirurgia ser mais segura, com menos complicações, ainda assim deve ser vista como uma gravidez de alto risco em um prazo de até 18 meses após o procedimento, como mostra a revisão.

As mulheres devem ser aconselhadas a aguardar pelo menos 12 meses, mas o ideal, segundo o estudo de revisão, seriam 18 meses. A pesquisa descobriu que 31% das gestações que ocorrem antes deste prazo acabam terminando em abordo espontâneo, sendo que entre as mulheres que engravidaram após esse prazo, os casos de aborto ficaram em 18%.

O manejo da gestante pós-cirurgia bariátrica requer cuidados antes, durante e depois; Precisa ser feito um rastreamento de deficiências nutricionais com exames específicos e sua complementação com a dieta e suplementação medicamentosa.

É muito importante que as gestantes sejam orientadas a seguir um programa alimentar específico. A adesão ao tratamento gera resultados positivos em gestação de mulheres submetidas à cirurgia bariátrica.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × um =